ESPAÇOS VERDES

 

  Os espaços verdes são muito importantes, não só para as cidades mas também para o mundo. São os pulmões das   concentrações humanas em espaços de betão e cimento. Os espaços verdes para além, de terem uma certa importância no embelezamento e na parte “estética” da cidade ,o seu papel principal consiste, como já foi referido, na renovação do ar, isto  é, as árvores, arbustos ... absorvem grande parte do dióxido de carbono transformando-o em oxigénio através do processo da fotossíntese. Assim, fica provada a importância destes locais visto que, principalmente as cidades, são grandes centros de poluição  onde se registam as maiores taxas de dióxido de carbono, devido ao uso de automóveis, indústrias...

  Em Faro, existem poucos espaços verdes, sendo considerados como tal apenas dois: o Jardim da Alameda e a Mata que circunda a Escola Secundária João de Deus. Ainda é considerado pela Câmara Municipal, como  espaço verde o jardim Manuel Bivar, que apesar de ter algumas palmeiras não deve ser ,   considerado como tal.

 

   O Jardim Alameda ou Jardim João de Deus é o maior espaço verde de Faro. Nele podemos encontrar um campo de mini golfe, um campo de futebol, um parque infantil, diversidade de animais e plantas... É ainda um ponto estratégico visto situar-se perto da biblioteca municipal e do Instituto Português da Juventude.

 

 

 

  Apesar, de em tempos, a Alameda ter estado num estado de alguma degradação, nos últimos tempos têm-se vindo a verificar vários melhoramentos, tais como: a renovação do parque infantil, uma maior segurança (contratação de seguranças, reconstituição do gradeamento), proibição da circulação de velocípedes, nomeadamente as bicicletas e da entrada de animais exteriores ao parque...

 

 

   Na Mata podemos encontrar a ermida de S.to António do Alto, local turístico, espaço de lazer, onde se pode também praticar algumas modalidades desportivas, como jogging. Neste espaço é permitido a qualquer cidadão, não só fazer a sua caminhada, como passear o seu cão.

 

 

 

   Em suma, o problema baseia-se na quantidade e não na qualidade. É urgente a criação e o nascimento de mais espaços verdes na cidades. Numa tentativa de ajudar apresentamos as seguintes sugestões:

 

        Sugestões:

 

  Aproveitar alguns dos vários espaços degradados e construir jardins e/ou parques;

  Incentivar a construção de edifícios com integração de espaços verdes;

  Melhor gestão dos espaços para construção,  sendo proibida a mesma quando não se respeita a existência de um espaço verde entre um determinado número de construções;

  Arborização de ruas e avenidas, de modo a contribuir para a melhoria da qualidade do ambiente e consequentemente da qualidade da cidade;

  Planear de forma correcta a criação de espaços verdes colocando-os em zonas estratégicas como pólo chamativo e, perto de  centros de poluição;

  Restaurar e melhorar todas as zonas verdes degradadas afim de torna-las verdadeiros jardins, como é o caso que é retratado na fotografia;  

  Demolir edifícios sem uso como  o caso da velha fábrica de cromagem situada na rua Cândido Guerreiro que está inactiva há anos, dando assim um bom espaço verde .